25, fevereiro, 2016

Viagem pelo japonês contemporâneo: Misaki Restaurante

Carpaccio Shake
Carpaccio Shake: finas lâminas de salmão e pescada branca com molho de gengibre e limão siciliano (Foto: Débora Chaves)

Dando seguimento à série “Viagem pelo japonês contemporâneo“, nossa segunda parada é tendência nesse ramo criativo de reinventar o sushi e a culinária japonesa em Fortaleza. De hashi em mãos, nosso repórter visitou o Misaki Restaurante, estabelecimento do grupo Geppos que prepara sua “aterrizagem” também em Teresina neste mês de março, em plena expansão da marca. Sob o comando do chef Edson Nakada, experimentamos as criativas invenções da casa que, como é a intenção dessa série, vão muito além do sushi tradicional em si.

Ebishinjyo de camarão
Ebishinjyo de camarão: pequenas trouxinhas de camarão com toque de cream cheese, disponíveis em seis unidades (Foto: Débora Chaves)

O ambiente suntuoso em tons de madeira, com boa iluminação e confortável climatização, são destaques notáveis aos que chegam à casa. Junto à decoração, que remete um pouco ao estilo nipônico (madeira, tons sóbrios, e tons escuros e claros bem harmonizados), há um quê de modernidade no Misaki, inerente às casas de cozinha contemporânea: largas portas e janelas de vidro dão um charme e requinte marcantes a seu projeto arquitetônico.

Passeando pelo cardápio, começamos com o carpaccio shake. A entrada faz parte do cardápio especial Novidades do Chef, e traz finas lâminas de salmão e peixe branco com calda de gengibre e de limão siciliano. De sabor interessante, o frescor do limão siciliano é facilmente percebido, e a mistura de gengibre e limão harmoniza muito bem com as lâminas de peixe. Prato simples, de execução e apresentação perfeitas. Um ponto positivo para o Misaki, junto aos saborosos ceviches que também entraram no cardápio da casa: embora estes dois (carpaccio e ceviche) não façam parte da tradicional cozinha japonesa, as opções têm tudo a ver com insumos e métodos do japonês contemporâneo, e também têm se mostrado tendência nesta e em outras casas da cidade, como o Ryori Sushi Lounge.

Senseshon: trinta unidades de sushi com criações do chef
Senseshon: trinta unidades de sushi com criações do chef (Foto: Débora Chaves)

Na sequência, o ebishinjyo de camarão, pequenas trouxinhas de camarão com toque de cream cheese disponíveis em seis unidades. Lembra um pouco o guioza chinês, embora mais crocante, rendendo um pastelzinho muito saboroso a ser degustado com tarê. Outra entrada simples e muito bacana.

Edson Nakada nos apresenta o Senseshon
Edson Nakada nos apresenta o Senseshon, combinado “queridinho” da casa (Foto: Débora Chaves)

Entre os pratos principais, o destaque vai para o queridinho da casa, o combinado Senseshon. Quem ama sushi de verdade deve experimentar as criações do chef Nakada algum dia: com trinta unidades, a criatividade do gastrônomo passa pelo sushi hot com castanha e outro com tapioca, e também pelo saboroso pirulito de salmão – inclusive imitado por outras casas da cidade – que traz o salmão maçaricado junto a salmão crocante empanado e cream cheese, em forma de pirulito, banhado em molho à base de acerola e saquê. Cada opção é cuidadosamente apresentada, e há um grande esmero também no preparo de cada molho. Resumidamente, o Senseshon é a “magnum opus” de Nakada, prato para se comer com os olhos e apreciar cada detalhe em termos de olfato, visão e paladar… Nota 10, e ponto alto da visita.

Camarão Kofunshita, em molho reduzido à base de espumante e alho poró
Camarão Kofunshita, em molho reduzido à base de espumante e alho poró (Foto: Débora Chaves)

Dando a sequência, fomos de camarão kofunshita: camarões em molho reduzido à base de espumante e alho poró, acompanhando arroz de amêndoas. Mais uma execução muito bem feita e apresentação impecável. Camarões e arroz de amêndoas bem macios, e prato com toque de ingredientes leves, sem gorduras ou excessos, como às vezes é comum em Fortaleza ao se lidar com o camarão. Talvez o comensal estranhe um pouco o sabor leve e até o ponto de sal do prato, que tem caráter levemente adocicado – o alho poró é menos acre, ou “mais doce”, que o alho comum. Vai de cada paladar. A quem prefere pratos de sabor mais marcante, a dica é experimentar o risoto de frutos do mar da casa, extremamente saboroso tambem.

Para encerrar a refeição, a sobremesa: o Ponto Misaki traz bolinho de chocolate, caramelo e nozes, servido com sorvete de creme e calda de chocolate. Uma sobremesa gostosa, com bolinho mais firme que o bolinho convencional de petit gateau, e bons ingredientes o complementando. Prato simples e saboroso.

Ponto Misaki
Ponto Misaki (Foto: Débora Chaves)

Com cardápio interessante, ambiente agradável e ótimas opções para almoço ou jantar, a casa faz jus à indicação de uma das melhores do ramo do japonês contemporâneo. Nakada tem criações saborosas e de apresentações bastante sensíveis, mas é com os sushis que ele esbanja arte e encanta o paladar de qualquer amante desta delícia japonesa. Reinventar é sempre preciso, e com o toque do Misaki, carregado de valores regionais, pode-se dizer que esta tarefa está sendo executada muito bem na capital cearense.

Serviço
Misaki

Avenida Desembargador Moreira, 1031 – Jardins Open Mall – Aldeota – Fortaleza – CE
Fone : (85) 3433-1050
Aberto diariamente para almoço e jantar
Cartões de crédito VISA , Mastercard e American Express

Vinícius Mateus
Repórter

 

 

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php